free web hit counter

A cidade é para quem mora nela, é o que destacam os jovens universitários mexicanos



No Governo Aberto de Delfina Gómez Álvarez, as vozes dos jovens são muito importantes para melhorar o futuro das cidades do Estado do México e, portanto, como um esforço da Administração Metropolitana, da Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Infraestrutura (Sedui), espaços para pensamento criativo são fornecidos à juventude mexicana.

Nos curtas “A City for Me” de Josué e “In My Shoes” de Axel, Jonathan, Samuel, Forrest e José Arturo, eles expressam em imagens o que muitos jovens veem, vivem e pensam sobre as grandes cidades (foto: privado ).

José Hernández e Axel Enríquez, após conquistarem o primeiro e segundo lugar, respectivamente, no 6º Festival Universitário de Curtas-Metragens: Vistas das Cidades Mexicanas “Mulheres e a Cidade”, organizado por Sidoy, através da Direção Geral de Projetos e Coordenação Urbana, um comentário sobre a forma como vivem sua cidade e o que as leva a pensar a partir das necessidades da mulher.

Há poucos dias, durante o 31º Congresso da Associação Nacional de Estudantes de Ciência Política e Administração Pública, a Governadora Delfina Álvarez sublinhou que a participação activa do povo é essencial, mas a participação da juventude é crucial para enfrentar vários desafios, porque a juventude é sinónimo de novas ideias e inovação, mas também sinónimo de atividade e compromisso.

Através dos seus curtas “A City for Me” de Josué, “In My Shoes” de Axel e dos seus companheiros Jonathan, Samuel, Forrest e José Arturo, estes jovens universitários pegam na palavra da governadora Delfina Gómez e partilham o que observam e vivem nas capitais dos estados do México.

José, o primeiro colocado do festival, é um estudante universitário que mora em Naucalpan e faz parte da Universidade Nacional Autônoma do México (UNAM), e acredita que “a cidade somos nós que moramos nela, certo?” Por outras palavras, somos nós que o movemos, somos nós que o construímos. É claro que existe um acordo com as autoridades, mas no final das contas, as autoridades representam os nossos interesses, e se estivermos interessado nisso, a comunidade melhora, a nossa cidade melhora e temos que fazer a nossa parte.”

Transformar e construir cidades seguras e amigas das mulheres é uma área de oportunidades que aumentará a qualidade de vida de todos os mexicanos, e isso se expressa em seu trabalho.

Axel, estudante de comunicação da Universidade de Ixtlahuaca, sublinha que “as cidades surgem da família, por isso penso que é muito importante ter este tipo de valores como a compaixão e o respeito da família para gerar uma comunidade”. Um ambiente melhor para todos na cidade.”

Em “A City for Me”, curta-metragem realizado em animação stop-motion, Josué conta a história de “uma mulher da cidade que sofre assédio no transporte público, depois de largar o emprego”. importante é gerar cultura, criar uma cultura de valores, de respeito pelos outros e de cooperação mútua.

Por sua vez, Axel, que mora em Ixtlahuaca, narra: “Nosso curta-metragem fala de Luis, o filho, estudante, amigo, que se envolve em uma série de problemas dos quais ele é o herói. Esses problemas giram em torno de como uma mulher vive sua vida diária. O que Louis faz no curta-metragem é se colocar no lugar de seu alter ego, por assim dizer, Louisa.

Para conhecer e desfrutar das reflexões desses jovens universitários das cidades do Estado do México, estão disponíveis curtas-metragens na página https://sedui.edomex.gob.mx/ganadores-miradas-ciudades.

comentários

comentários