Autoridades estaduais e universidades unem forças para construir um novo modelo de gestão hídrica



Para ouvir propostas que melhorem a gestão e o abastecimento de água nas residências mexicanas, Pedro Moctezuma Barragán, Ministro das Águas, e Miguel Ángel Hernández Espejel, Ministro da Educação, Ciência, Tecnologia e Inovação, reuniram-se com reitores de universidades, diretores gerais e acadêmicos de importantes Instituições mexicanas. Universidades e tecnologias.

As Secretarias de Água, Educação, Ciência, Tecnologia e Inovação cooperam com as universidades públicas para que não falte fluido vital ao povo mexicano.

Durante a reunião, Pedro Moctezuma Barragán, Ministro das Águas, comentou que face à crise, o modelo de captação de água deve ser mudado para um que gerencie os ciclos de vida, por isso é necessário cooperar com as instituições de ensino superior para encontrar as melhores alternativas e transformar a realidade de forma responsável em conjunto com as comunidades, cidadãos, empresas e governo.

“Será uma grande oportunidade para colocar o Estado do México na vanguarda da transformação de uma crise que estava prestes a se tornar uma tragédia em uma oportunidade transformadora. “É um momento de esperança porque superaremos este tipo de crise e desafios com propostas e alternativas para os problemas hídricos e ambientais”, disse Moctezuma Barragán.

Da mesma forma, Miguel Angel Hernández Espejel, Ministro da Educação, Ciência, Tecnologia e Inovação, apelou à acção colectiva sobre um problema a resolver em conjunto.

Ele ressaltou que as instruções da governadora Delfina Gómez Álvarez são claras: “O plano de desenvolvimento deve partir da população e das comunidades locais e, portanto, diante do problema da água, nos aproximamos dos reitores, salvando a ideia do Novo México Escola que, disse o Ministro da Educação, “coloca a comunidade no centro”, os problemas comunitários estão no centro, e o problema neste sentido é a gestão da água”.

Por sua vez, os reitores das universidades manifestaram a sua vontade de incentivar a participação da comunidade universitária nas alternativas e mudanças culturais. Além de promover medidas nas escolas como: sistemas de captação e reciclagem de água, mictórios secos, elaboração de diagnósticos, pesquisas e programas de pós-graduação relacionados a melhorias em políticas públicas, gestão da água numa perspectiva interdisciplinar e interdisciplinar.

Os reitores e dirigentes concordaram em reunir-se periodicamente para acompanhar este tema e, neste contexto, anunciaram que no dia 11 de dezembro será realizado em Valle de Bravo um fórum intitulado “Bem-estar Ambiental e Acesso Universal à Água”, como parte da obra para dar continuidade à construção do Plano de Desenvolvimento do Estado e do Plano de Águas.Para o Estado do México 2023-2029.

Entre os reitores convocados estão Carlos Eduardo Barrera Díaz, da Universidade Estadual Autônoma do México (UAEM); José Antonio de los Reyes Heredia, da Universidade Autônoma Metropolitana (UAM); Gabriel Soto Cortes, Diretor da UAM-Lerma; Mary Carmen Gomez Albarran, Diretora da Escola Normal para Professores Centenário e Benemerita; e Pablo Pedulla López, Diretor Geral do Tecnológico de Estudos Superiores de Ecatepec (TESE).

Além de Victor Avila Akerberg, Presidente do Conselho Mexicano de Ciência e Tecnologia (Comecyt), e Samuel Pérez Neto, Diretor do Conselho Curador da Universidade, representados por Angel Garduño García, Reitor da Universidade Autônoma de Chapingo.

comentários

comentários