free web hit counter

Kudem apela à criação de sociedades mais justas, humanas e igualitárias



A Presidente da Comissão de Direitos Humanos do Estado do México (CODHEM), Myrna Araceli García Morón, participou da Conferência Anticorrupção 2023 do Sistema Estatal Anticorrupção de Jalisco (SEAJAL), com a conferência principal “Responsabilidades dos Funcionários Públicos com uma Perspectiva de Direitos Humanos”, no qual convidou os estudantes de Direito a contribuir, como cidadãos, para continuar a criar sociedades mais justas, mais humanas e mais igualitárias.

A presidente da Organização de Defesa, Myrna Araceli García Morón, participou da Conferência Anticorrupção de 2023 em Jalisco, apresentando “Responsabilidades dos Funcionários Públicos na Perspectiva dos Direitos Humanos” (Foto: Exclusivo).

No Centro Universitário Enrique Díaz de León, destacou a importância da reforma constitucional de 2011 que representa uma mudança de paradigma no sistema jurídico mexicano na forma como a lei é interpretada e aplicada e o reconhecimento dos direitos pode ser exigido, ou seja, o institucionalização dos direitos humanos, sobretudo, em toda intervenção do poder público, este tem a obrigação de promover, respeitar, proteger e garantir os direitos humanos.

“Hoje, como atores jurídicos da esfera pública, e da esfera privada, em que queiram trabalhar, devem ter a certeza absoluta de que qualquer intervenção pública tem no seu centro, a concretização da dignidade das pessoas, o exercício e o stress de suas liberdades e, portanto, do respeito aos direitos humanos como meta e objetivo único.” Dos procedimentos administrativos, executivos e judiciais.

Depois de apresentar um panorama histórico dos direitos humanos, suas características e as obrigações das autoridades, comentou que o direito humano à boa administração pública busca erradicar as más práticas, erradicar a corrupção e gerar princípios e valores que permitam a transição para uma boa etapas, “e que a dignidade e os direitos das pessoas sejam verdadeiramente respeitados”.

A Presidente da Casa da Dignidade e Liberdades disse que espera estimular o interesse dos jovens no estudo do direito humano à boa administração pública, porque quando os programas e orçamentos não são implementados adequadamente, isso afecta grupos vulneráveis, e os jovens são os causa mais afetada, bem como mulheres, crianças, imigrantes, pessoas com deficiência e pessoas que vivem na pobreza, que não saíram para desfrutar do local de trabalho e viver as suas vidas.

A cerimônia contou com a presença de Gilberto Tinajero Díaz, Secretário Técnico da Secretaria Executiva da SEAJAL; Fanny Lorena Jiménez Aguirre, Presidente do Tribunal Administrativo Judicial de Jalisco (TJAJAL) e Presidente dos Tribunais Administrativos Judiciais do país; Pedro Vicente Viveiros Reyes, membro do Comitê de Participação Social da SEAJAL, e Luz del Carmen Godinez González, Presidente da Comissão Estadual de Direitos Humanos de Jalisco (CEDHJ).

comentários

comentários