Nação criminosa



Uma das maiores notícias da semana passada foi que o México tem o terceiro maior número de crimes no mundo, atrás apenas de Mianmar e da Colômbia, de acordo com o Índice de Crime Internacional da Iniciativa Global Contra o Crime Organizado.

Embora as autoridades federais não queiram reconhecer isso por interesse, os números falam por si. Só entre os homicídios, ocorrem em média 90 diariamente.

O tráfico de drogas é a causa direta dos conflitos territoriais, embora o tráfico de pessoas e os crimes financeiros também estejam incluídos; Há também feminicídio, sequestro, extorsão e roubo.

Basicamente, o crime provém do desemprego, da instabilidade laboral, do baixo nível de vida, da má educação, da corrupção, da impunidade, do abuso de poder, da falta de oportunidades e da exclusão social, etc.

A situação ameaça a paz, a estabilidade e o bem-estar. A criminalidade atingiu um grande segmento da população e esta tem medo de andar nas ruas.

Vivemos num estado criminoso e não existem medidas fortes que nos façam sair do buraco negro a médio e longo prazo, pois têm que começar pela prevenção e repressão dos crimes e não pela conivência do crime com as autoridades.

comentários

comentários