PJEdomex analisará a justiça, experiências e expectativas originais



A Conferência Nacional sobre Multiculturalismo Jurídico, organizada pelo Poder Judiciário do Estado do México, reunirá pesquisadores, juízes e a comunidade acadêmica de diferentes entidades como Oaxaca, Chiapas, Quintana Roo, Guerrero, Puebla e Cidade do México, para discutir as experiências e expectativas da comunidade internacional. Multiculturalismo e justiça indígena em nosso país.

De 5 a 7 de dezembro na Escola Judiciária Edomex (Foto: Exclusiva).

A Câmara de Assuntos Indígenas PJEdomex abrirá um espaço para pensar a governança desde a perspectiva do multiculturalismo jurídico e do intercâmbio com os tribunais, a fim de proteger os povos indígenas e as comunidades locais no México.

O encontro será realizado de 5 a 7 de dezembro na Escola Judiciária Edomex e tem como público-alvo funcionários judiciais de autoridades judiciárias locais e federais, estudantes de diversas disciplinas sociais, professores e pesquisadores, associações, ordens de advogados, bem como civis. Organizações comunitárias.

Durante os três dias de trabalho serão realizadas cinco conferências principais e dez mesas. Participarão especialistas como Natividad Gutierrez Chung, que fará a apresentação “A Unidade Multiétnica do Estado-Nação: Multiculturalismo e Autodeterminação”.

Além disso, as intervenções de Sebastian Batistán Méndez que apresentará “A Complexidade do Pluralismo Jurídico dos Povos Indígenas” e Luis Enrique Cordero Aguilar na conferência “Sochistloaca, um caso emblemático da Câmara de Assuntos Indígenas de Oaxaca”.

Na mesa “Pluralismo e Multiculturalismo Jurídico”, Martha Singer Suchet participará com o tema “Direitos dos Povos Indígenas e Democracia Liberal”; José Manuel Fernández Morales apresentará “Desafios axiológicos da antropologia jurídica no sistema jurídico mexicano” e Javier Espinoza de los Monteros Sánchez “Construindo o Estado Multicultural”.

Os juízes membros da Câmara de Assuntos Indígenas da Suprema Corte de Justiça do Estado realizarão uma “reunião de trabalho das Câmaras de Assuntos Indígenas de Oaxaca e do Estado do México, trocando experiências”, ao mesmo tempo em que concluem a apresentação principal, “Multiculturalismo como uma abordagem filosófica”. Problema.” Relembrando Leon Olivier, dirigido por Ambrosio Velasco Gomez.

comentários

comentários