UGT e CC OO convocam greve de oito dias na Península Ibérica em pleno Natal | Economia

Os sindicatos UGT e CC OO convocaram uma greve nos serviços de assistência em escala de aeronaves e passageiros (tratar) da Península Ibérica para o Natal. Os protestos vão estender-se a todos os aeroportos onde a empresa está presente e decorrerão nos dias 29, 30, 31 de dezembro e 1, 4, 5, 6 e 7 de janeiro, conforme anunciado quarta-feira pelos dois sindicatos.

UGT já convocou greve durante todo o ano tratar Nos aeroportos da rede Aena nos dias 5 e 10 de dezembro, coincidindo com o fim de semana prolongado de dezembro, em protesto contra o resultado da recente competição do operador aeroportuário, em que a Iberia perdeu lugares em todos os aeroportos com maior tráfego, exceto Madrid Barajas. Porém, uma semana antes da primeira greve, ele decidiu cancelar o protesto.

O motivo deste protesto, inicialmente dirigido à Ena, foi a alegada instabilidade das condições de trabalho que resultaria na substituição dos contratos de milhares de trabalhadores terrestres na Península Ibérica por novos franqueados. Ao mesmo tempo, pediram à Iberia que assumisse Processamento automático Prestar serviços a todas as companhias aéreas IAG (Iberia, British Airways, Level, Vueling, Aer Lingus e Aer Nostrum) nos aeroportos onde perderam concorrência. Por este motivo, a greve convocada para quarta-feira limita-se apenas à Iberia Airport Services, companhia aérea subsidiária que presta serviço ao aeroporto. tratar Tem 7.000 trabalhadores.

A resposta da Iberia não demorou muito. A companhia aérea expressou a sua “profunda decepção” com o apelo “irresponsável” à greve, “no meio da negociação de uma solução viável para o problema da aviação”. tratare em datas que “prejudicam irreparavelmente o direito de sair e se reunir com familiares e amigos em datas tão importantes”.

No entanto, a Iberia deixa claro que não irá prestar este serviço. Processamento automático Por falta de rentabilidade, pois não é acompanhada de um volume suficiente de carga horária que também é prestada a terceiros. Desta forma, cerca de 3.000 trabalhadores dos serviços do Aeroporto Iberia terão de se transferir para outras empresas franchisadas (Groundfource, Aviapartner, Menzies e Swissport, principalmente). “A nova situação resultante da resolução de concursos tratar A companhia aérea referiu em comunicado que a Aena não põe em risco o emprego de um único trabalhador na Península Ibérica e não viola nenhum dos seus direitos sociais ou laborais, salários ou complementos salariais.

Esta é a primeira vez que a Iberia e os seus sindicatos violam a unidade laboral desde que o conflito eclodiu quando a Aena anunciou o resultado do concurso em 26 de setembro. A empresa perdeu todos os grandes aeroportos onde estava localizada para o tráfego de passageiros, com exceção de Madrid-Barajas. Assim, os serviços do Aeroporto Iberia transferiram os aeroportos de Barcelona-El Prat, Palma de Maiorca, Málaga, Alicante, Gran Canaria, Tenerife Sul, Ibiza e Bilbao. A companhia aérea e os sindicatos esperavam paralisar a sentença arbitral, mas a TACRC rejeitou o apelo da Iberia em 1 de Dezembro.

Acompanhe todas as informações Economia E um trabalho em Facebook E éou em nosso Boletim informativo semanal

Agenda de cinco dias

As cotações econômicas mais importantes do dia, com chaves e contexto para entender seu alcance.

Receba no seu e-mail