Vítimas e vítimas de crimes recebem atendimento integral para reconstruir e desenvolver seus projetos de vida



O Governo do Estado do México apoia as pessoas vítimas do crime e as pessoas afetadas, fortalecendo procedimentos e mecanismos que garantam a reconstrução e o desenvolvimento dos seus projetos de vida, especialmente meninas, meninos e adolescentes.

Foram aprovados os pedidos de acesso à cesta básica, programas Valentina e indenização por danos (Foto: Exclusivo).

Durante o 9º Período Ordinário de Sessões de 2023 da Comissão de Admissão e Acompanhamento de Programas Sociais do Comitê Executivo de Bem-Estar das Vítimas do Estado do México (CEAVEM), foi aprovado o seguinte:

• 07 inscrições para o programa cesta básica para vítimas de homicídio e desaparecimento de mulheres.
• 12 fichas para Valentina cuidar de meninas, meninos e adolescentes órfãos com crime de homicídio e desaparecimento de mulher.
• outros 14 para reparação de danos sofridos por vítimas ou vítimas de feminicídio.

Jesús Jorge Zamora, Assessor Jurídico, afirmou que com as instruções da Professora Delfina Gomez Álvarez, Governadora do Estado do México, será fortalecido o interesse e o acompanhamento dos usuários do CEAVEM e lembrou que trabalham todos os dias para reconstruir o tecido social da entidade .

“O governo de Delfina Gómez continuará, naturalmente, a apoiar este tipo de programas, conforme solicitado no orçamento correspondente. É por isso que as reuniões que o governador do estado realiza diariamente na mesa de coordenação da construção da paz carregam o significado de que a luta contra a violência em qualquer uma de suas formas e aspectos pode ser abordada de forma abrangente.” .

Entretanto, Carolina Alanis Moreno, Presidente do CEAVEM, informou que está a ser aplicado aos utentes um modelo integral de atendimento que inclui três eixos básicos: apoio psicológico, serviço social e apoio jurídico.

Participaram da sessão representantes dos Ministérios da Segurança, das Finanças, da Assistência Social, da Controladoria e da Mulher, bem como do Sistema de Desenvolvimento Integral da Família (DIFEM), da Procuradoria do Estado (FGJEM) e da Escola Mexicana.

comentários

comentários